SWF file not found. Please check the path.

Minha História

Get Adobe Flash player

Nascido em uma família fascinada por música — consumidores vorazes de talentos como Pixinguinha, Cartola, Tina Turner, Otis Redding, Tom Jobim, Caeteno e "tropicálias" ambulantes — Roney Giah se apaixonou pelo violão cedo e começou a estudá-lo aos seis anos. A primeira banda veio aos nove anos, incentivada pelo professor e mentor, Manuel dos Santos, cujos ensinamentos e amizade duram até hoje.

As primeiras composições não tardaram, e vieram aos 11 anos, nascidas da paixão por escrever, cantar e tocar. Com a segunda banda, o Moscou Capitalista, formada em 1987, Roney Giah começou a tocar em festas e festivais. Aperfeiçoando as composições nos ensaios e alimentado pela amizade e o talento dos integrantes do grupo — Sil, Rolon, Magal e Pablito — gravou com eles, em 1988, o primeiro trabalho autoral em estúdio.

A banda se separou quatro anos depois, surgindo o Quelidon, power trio formado por Roney (voz e guitarra), Rolon (baixo) e Sil (bateria). A nova formação gravou uma Demo, na qual namoraram estilos mais pesados — diferentes do pop suave e introspectivo do ex-Moscou. O tempo passou e trouxe a hora de Roney tomar sua grande decisão: viver o sonho da música, ou seguir outro destino. A aposta foi feita e Roney viaja para os Estados Unidos para estudar música e iniciar a jornada de sua carreira. O ano é 1993.

Com professores como Pat Metheny, Scott Henderson, Frank Gambali, Joe Diorio, Joe Pass, Stanley Jordan, Jenifer Batten (ex-guitarrista do Michael Jackson) e Cat Gray (tecladista do Prince), Roney Giah submerge em uma infinidade de possibilidades; um aperfeiçoamento delicado e transpirado da paixão por música.
De volta ao Brasil, em 1994, o cantor, guitarrista e compositor formado no M.I.T, de Los Angeles, começa a se apresentar semanalmente em casas noturnas de São Paulo. Após dois anos de shows e experimentos, define a sua banda e grava o CD de estréia, Semente, em 1996. Ele tinha 21 anos.

Gravado ao vivo no Studio Bebop, em rolo com 16 polegadas — em uma época ainda sem softwares ou facilidades tecnológicas — o CD era um trabalho 90% instrumental. A repercussão foi generosa: concorreu ao Prêmio Sharp 98.

No mesmo ano, mais surpresas…Foi classificado e disputou o Prêmio Visa 98 (edição instrumental) e conquistou o segundo lugar do Festival Berklee/Souza Lima. Sua música Argila foi também relançada no disco Pearl Brazilian Team 3 — uma coletânea de artistas brasileiros.

Começa então a gravação do segundo CD, Mais dias na Terra, que marca o início da eterna transformação musical de Roney.

O CD Mais dias na Terra foi lançado para a imprensa em 2005, e teve um aclamado show de lançamento oficial no dia 29 de abril de 2006, no teatro do Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. Mais dia na Terra foi pré-selecionado ao Prêmio TIM 2006 e ao LATIN GRAMMY 2006.

Com a estética musical alcançada nesse trabalho o compositor, cantor, guitarrista e produtor brasileiro começou a expandir suas fronteiras para o mercado internacional: em 2008, o músico foi convidado a participar da trilha sonora do filme norte-americano No pain, no gain e assinou um contrato com a gravadora inglesa ASTRANOVA Records para o lançamento da coletânea Yesterday´s tomorrow. Para a divulgação, a gravadora produziu podcasts shows que foram disponibilizados em 107 países. Yesterday's tomorrow, que é comercializado pelo I Tunes, reúne sete faixas do CD Semente (1998), seis faixas do CD Mais dias na Terra (2006) e uma faixa bônus produzida com exclusividade para a ASTRANOVA. O interesse da gravadora ocorreu após o músico ter as músicas Amar com E e A chuva – do álbum Mais dias na Terra –, indicadas ao Track of the day pelos usuários do site Garage Band, portal de música norte-americano que tem a curadoria de George Martin, ex-produtor dos Beatles. Ainda em 2008, um dos mais renomados festivais internacionais de composição, The John Lennon Songwriting Contest, destacou com Menção Honrosa, na categoria World, o trabalho de Giah. Com a curadoria de Yoko Ono, o júri – formado pelos músicos Carlos Santana, Wyclef Jean, Fergie (Black Eyed Peas), John Legend, Al Jareau, Bob Weir (Grateful Dead), Lamont Dozier e Natasha Bedingfield – concedeu Menção Honrosa ao artista pela música Amar com E, que integra seu segundo CD, Mais dias na Terra.

Em 2009 a composição Time is so still que integra o quarto CD de Giah Queimando a moleira, lançado oficialmente em 2010, rendeu ao músico sua segunda importante distinção internacional: a Menção Honrosa do Billboard World Song Contest, premiação criada pela revista norte-americana Billboard. No mesmo ano e com a mesma canção - Time is so still - Roney Giah ganhou a sua terceira Menção Honrosa internacional, desta vez do Mike Pinder's Songwars, premiação criada por Mike Pinders, tecladista da banda Moody Blues, sucesso da década de 60.

Ainda em 2009, Roney Giah foi convidado a integrar o portfólio do Jingle Punks, e-business musical que atua como um banco de dados de música independente. Com sede em Nova York, o Jingle Punks, dirigido por Jared Gutstadt e Daniel Demole, foi eleito pela revista norte-americana Business Week (2009), como um dos novos negócios mais promissores dos Estados Unidos. Com a parceria, a obra do compositor, cantor e guitarrista brasileiro é disponibilizada para compor trilhas de filmes, séries de tevê e web das redes NBC, CBS, Viacom, Comedy Central, Vh1, MTV, Bravo, TLC, Starz e History Channel and A&E.

Em 2010, o The Musicoz Award – festival destinado a destacar artistas independentes em ascensão no cenário musical internacional – indicou Giah na categoria "International Artist". O compositor, cantor e guitarrista recebeu a indicação com as canções Amar com E e Time is so still. The Musicoz Award é uma das principais premiações da indústria fonográfica australiana.

Em 2007, Roney Giah também integrou o Oi Novo Som, projeto cultural da operadora de telefone celular Oi, com o qual realizou uma turnê em Recife (PE). Sua música Lembra? ficou entre as dez mais tocadas na Oi FM, uma das principais rádios pernambucanas.

As composições, letras, arranjos, mixagem e produção artística dos CD's são assinadas pelo próprio Giah, formado em música pelo Musicians Institute (MI), de Los Angeles (EUA) e em engenharia de som pelo IAV de São Paulo.

Hoje, com a marca de mais de 50,000 hits mensais (soma de page views e arquivos acessados) no site www.roneygiah.com.br, Roney Giah grava o sexto CD e prepara a primeira turnê internacional.

Destaques da Carreira

Álbuns

  • Semente (1998)
  • Mais Dias na Terra (2006)
  • Yesterday´s tomorrow (2008)
  • Queimando a Moleira (2010)
  • Co´as goela e tudo (2011)
  • Pop em pedaço vol. 01 (2012)
  • Single puzzle piece vol. 01 (2012)


DVD

  • Uma tarde onde nasci (2006)
  • Ao vivo no MASP (2010)


Premiações e indicações

  • Disputou o Prêmio Sharp 1998
  • Disputou o Prêmio Visa 1998 (edição instrumental)
  • Disputou o Prêmio Sharp 1998
  • Segundo lugar no Festival Berklee/Souza Lima (São Paulo)
  • Latin Grammy (pré-selecionado, edição 2006)
  • Prêmio TIM (pré-selecionado, edição 2006)
  • Indicado ao The Musicoz Award 2010 (categoria Best International Artist)
  • Menção Honrosa do Mike Pinder´s Songwars (2010)
  • Menção Honrosa do Billboard World Song Contest (2010)
  • Menção Honrosa do The John Lennon Songwriting Contest (2008) – curadoria de Yoko Ono
  • Segundo lugar - Best World/Folk album of the year (CARAs - Contemporary A Cappella Recording Awards - 2011).
  • Segundo lugar - Favorite Central/South American A Cappella Group (ACAs – A Capella Comunity Award - 2011).
  • "CD do ano" – Prêmio Caiubí 2011


Especiais

  • Trilha sonora do filme norte-americano No pain, no gain (2008)
  • Gravadora inglesa ASTRANOVA Records lança o CD Yesterday´s tomorrow (2008)
  • Música Argila é relançada no disco Pearl Brazilian Team 3 (1998)
  • Integra o portfólio do Jingle Punks, e-business musical (2009)
  • Entra na programação de 150 college rádios nos Estados Unidos e alcança o TOP 30 duas vezes (2011)